13 de novembro de 2012

Para Ler: Codex Alera II - Academ's Fury

If the beginning of wisdom is in realizing that one knows nothing, then the beginning of understanding is in realizing that all things exist in accord with a single truth: large things are made of smaller things.

Drops of ink are shaped into letters, letters form words, words form sentences, and sentences combine to express thought. So it is with the growth of plants that spring from seeds, as well as with walls built of many stones. So it is with mankind, as the customs and traditions of our progenitors blend together to form the foundation for our own cities, history, and way of life.

Be they dead stone, living flesh, or rolling sea; be they idle times or events of world-shattering proportion, market days, or desperate battles, to this law, all things hold: Large things are made from small things. Significance is cumulative-but not always obvious.


From the writings of Gaius Secondus, First Lord of Alera
O segundo livro de Codex Alera se passa dois anos depois de Furies of Calderon. Tavi agora é um academ, estudante da Academia de Alera, patrocinado pelo Primeiro Lorde (o Imperador). Ele ainda não tem nenhuma fúria... o que não ajuda em nada quando ele é colega de classe dos filhos dos principais nobres de Alera, e que a maior parte dos estudantes é bem poderosa com suas fúrias, alguns em TODOS os elementos (Lembram-se que a maior parte dos Alerianos domina apenas um ou dois elementos...).

Atuando como pajem do imperador, Tavi vê em primeira mão as dificuldades do trono: as intrigas, as decisões difíceis, o desafio de manter o império seguro. E as noites em claro. Tudo isso para um homem com quase um século de vida, mesmo que pareça ter metade dessa idade (cortesia das fúrias da água). Uma hora o homem tinha que entrar em colapso, não é? E cabe a quem evitar que Alera mergulhe em uma guerra civil?

Mas uma vez vemos o talento de Butcher para amarrar pontas soltas, e em DEIXAR pontas soltas para serem amarradas mais tarde. Por que digo isso? Por que é neste livro que o autor passa a expandir o mundo que nos apresentou no primeiro livro. Aqui conhecemos os Canim (ou o plural certo seria Cane? Nunca sei), outra raça inimiga de Alera. E também tem os Vord...

Retornam aqui todos os personagens que fizeram nossa alegria no primeiro livro (e Doroga continua hilário) e somos apresentados mais alguns. Destaque para Maximus, que é apresentado dando uma surra no maior bully da academia, após passar a noite com lindas gêmeas! E uma delas é noiva do tal bully! Pode babar, Régis.

E não sei como, mas Jim Butcher conseguiu fazer funcionar um livro em que legionários elementaristas enfrentam zerg e lobisomens. Só lendo para entender a frase passada.

O Bode


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog