25 de outubro de 2012

Para ler: Codex Alera I - Furies of Calderon

The course of history is determined not by battles, by sieges, or usurpations, but by the actions of the individual. The strongest city, the largest army is, at its most basic level, a collection of individuals. Their decisions, their passions, their foolishness, and their dreams shape the years to come. If there is any lesson to be learned from history, it is that all too often the fate of armies, of cities, of entire realms rests upon the actions of one person. In that dire moment of uncertainty, that person’s decision, good or bad, right or wrong, big or small, can unwittingly change the world.

But history can be quite the slattern. One never knows who that person is, where he might be, or what decision he might make.

It is almost enough to make me believe in Destiny.

FROM THE WRITINGS OF GAIUS PRIMUS
FIRST LORD OF ALERA
O que acontece quando um autor desafia outro a escrever uma história usando como base uma legião romana desaparecida e pokémon? Quando o desafiado é Jim Butcher, com certeza uma coisa boa! Leitores de longa data do Coruja já ouviram falar, mais de uma vez, do autor de Dresden Files, mas não sei quantos já ouviram falar da outra série do autor: Codex Alera.

O Império de Alera, composto por descendentes de uma legião romana são a maior nação do mundo onde a história se passa. Com o auxílio de espíritos elementais, as fúrias, da água, ar, fogo, madeira, metal e terra, os Alerianos mantêm com mão de ferro o posto de nação dominante. E é claro que existem inimigos... e não são poucos!

Quase vinte anos antes do início da história, Alera foi alvo do ataque de uma horda de bárbaros. Guerreiros selvagens, contando cada um com seu animal-totem, os Marat lutaram sem medo da morte e invadiram o Vale Calderon como uma onda. A batalha foi dura, ceifando milhares de vidas, inclusive a do herdeiro do trono imperial, Gaius Septimus, mas no final a dura vitória foi dos Alerianos.

Eis que um belo dia, o pastor Tavi, o único Aleriano sem fúrias, no decorrer de suas atividades normais acaba por esbarrar em um batedor Marat. Mal escapando com vida, Tavi inicia uma verdadeira jornada para alertar o Império sobre a nova invasão Marat.

O livro tem o mesmo ritmo alucinante de Dresden Files, com muita ação no decorrar dos vários capítulos mostrando cenas que ocorrem simultâneamente sob o ponto de vista de vários personagens diferentes. O sarcasmo, inteligência e carisma dos personagens, especialmente Tavi, me deixaram grudado às páginas do livro como a muito tempo não acontecia. Afinal, como não gostar de um livro que é basicamente Avatar: The Last Airbender com legionários romanos enfrentando elfos selvagens montados em lobos atrozes e preguiças gigantes?

É exatamente esse tipo de livro!

O Bode


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog