30 de setembro de 2017

A Vertigem das Listas: Nove Personagens para Discutirmos Depressão


Lulu: Assim como acontecem o outubro rosa (para chamar atenção para prevenção do câncer de mama) e o novembro azul (para o câncer de próstata), setembro foi eleito o mês de conscientização para o combate à depressão e suicídio: o setembro amarelo. E esse ano em especial, a Organização Mundial de Saúde colocou a depressão como o tema do Dia Mundial da Saúde, com uma iniciativa batizada Let’s Talk. Ainda existe muito preconceito em torno do assunto, muita gente que acha que depressão é frescura, coisa de gente que não tem o que fazer, e exatamente por isso é tão necessário debater a sério o assunto.

Assim é que o tema do vertigem desse mês é mais que uma lista de nomes, mas uma desculpa para utilizar personagens para falar, para fomentar a discussão. São Nove Personagens para Discutirmos Depressão, o que significa que não necessariamente eles tenham sido diagnosticados por seus autores, mas sim que sua interpretação dê abertura suficiente para essa conversa.


Ísis: Eita, esse foi difícil… E como eu tô sem tempo esses dias, vou só citar e dar uma frase para não passar em branco! Mil perdões por não ficar para o debate! >.< Primeiro, e esse foi sugestão da Lu, e, realmente, não tem como negar: Eeyore (ou Bisonho na versão em português), do Ursinho Pooh. Só olhem isso aqui e saibam que essa cara (e a atitude que acompanha) é permanente:


Lulu: Vou começar minha lista com dois nomes de uma mesma história, os dois protagonistas do anime Yuri!!! on Ice. Katsuki Yuri, que dá nome ao título da história, é um atleta de alta performance - patinador artístico de gelo - que sofre de ansiedade crônica e episódios de depressão. A ansiedade faz com que ele espirale fora de controle no Grand Prix ao início da história, algo que piora quando recebe a notícia de que seu cachorro, que ele não via há cinco anos desde que fora embora do Japão para treinar em Detroit, morreu.


Contrastando com Yuri temos Victor Nikiforov, cinco vezes consecutivas campeão de… todos os títulos possíveis e imagináveis de patinação artística no gelo. Victor se apresenta como um atleta de sucesso que parece ter tudo que poderia querer… exceto pela parte em que ele observa que passou as últimas duas décadas tão absorto em seu trabalho que ele praticamente não tem uma vida fora da patinação. Nos poucos vislumbres que temos do passado dele antes de Yuri, a impressão que temos (ou, pelo menos, eu tive) é de profunda solidão. A falta de inspiração, os esquecimentos, o cansaço que ele demonstra com seu próprio sucesso são todos sintomas clássicos de depressão.


O interessante de Yuri!!! on Ice é que esses problemas não desaparecem magicamente com o poder da amizade ou do amor. São problemas com que os personagens têm de conviver, e que têm consequências nas pessoas que estão ao redor deles.


Ísis: É difícil saber qual dos dois tem mais problemas. A gente tende a achar que é o Yuuri (continuo achando) porque ele esconde bem menos, pelo menos para nós, os espectadores, mas o Viktor tem que ter um nível de depressão/solidão bem alta também para correr atrás de uma criatura que só conheceu uma vez…

Minha segunda opção é: o professor Lyall, do Protetorado das Sombrinhas. A culpa é da Luciana, que me deixou viciada nisso. Mas eu amei o professor desde o começo, e a minha felicidade para com o personagem só aumentou à medida que lia mais e mais. O coitado aguentou poucas e boas como beta de sua alcateia, e ainda carrega o peso de muita coisa em suas costas ao longo da história. Eu quero ler nos novos livros desse universo que ele FINALMENTE está feliz, PELOAMORDEDEUS!!!!


Lulu: Tony Stark, o Homem de Ferro, é meio que uma pilha de vários problemas mentais… Tony é canonicamente um ex-alcóolatra: saiu de controle durante uma época, chegando a um ponto em que sua dependência do álcool era quase um suicídio anunciado. Conseguiu largar o vício, mas é uma tentação com que ele se digladia constantemente nos quadrinhos. Além disso tem, claro, o estresse pós-traumático, a síndrome de sobrevivente, ataques de pânico, complexo de mártir, a forma como ele se culpa por todo mínimo detalhe, inclusive aqueles que estão fora do seu controle… e a depressão.


Considerando as coisas que veem, as escolhas que são obrigados a fazer, creio que todo super-herói sofre em maior ou menor grau de depressão. Tony me impressiona particularmente porque… a cada novo arco que a Marvel lança, seja nos filmes ou nos quadrinhos, os roteiristas parecem ter um prazer sádico em maximizar o sofrimento - e os sintomas - do Tony. Se ele aparecer feliz em algum momento, pode se preparar para antes do fim da história a merda aparecer ainda maior.


Ísis: A essa altura, todos sabemos da obsessão de Lulu para com Tony Stark (e a minha também, mas, de novo, a culpa é da Lulu!!!)... Então não estamos surpresos de vê-lo aqui, embora seja a lista perfeita para ele, de fato.

Terceiro indicado: Asato Tsuzuki, de Yami no Matsuei (Descendentes das Trevas). Esse é um dos meus personagens preferidos EVER! Adoro ele, adoro a história (que ainda não se revelou toda) dele, adoro o visual e a personalidade linda e carinhosa dele. Adoro o fato dele ser super-poderoso e quase imortal. Adoro o fato dele ser lindo (ou era, explico já), e que todos os homens do mangá parecem o desejar de alguma forma…

Tsuzuki é um personagem aparentemente leve e sem preocupações, mas a verdade é que carrega muito consigo, sendo vítima de bullying desde criança, e tem fortes tendências suicidas. É um personagem trágico, mas bastante carismático.

Estava feliz da vida mês passado quando descobri que, depois de pelo menos uns 4 anos, o mangá voltou a ser publicado. Mas entrei em desespero quando recebi o volume (no dia seguinte à descoberta) e vi a capa. Um exame rápido das páginas interiores confirmaram meu receio: o traço da autora mudou drasticamente e o visual detalhado que eu tanto amava do personagem virou quase uma caricatura… #EntreiEmDepressão

Não sei o que farei agora que mudou tanto o traço, mas pelo menos até então, Yami entra sempre na minha lista dos top 10! Aliás, o mangá tem cenas lindas, e o anime também. Certas cenas me fizeram chorar só com a dublagem (japonesa)!!!

E por falar em traços que mudaram pra pior, evoco minha quarta opção: Kyo, de Fruits Basket.


Fora o Tsuzuki que já é suicida, não lembro de nenhum personagem mais trágico e sujeito à depressão que o Kyo: sua mãe se matou por depressão por o ter dado à luz, seu pai o odeia, e praticamente toda a família também. Ele não consegue vencer o arquirrival, Yuki, que deve o fazer ainda mais depressivo, e também é o único dos “animais” da história que tem uma forma “horrenda” e fedorenta (parece que cheira a lixo/coisa podre). Gente, a história dele é para fazer chorar e cortar os pulsos mesmo…


Lulu: Lembro de ter ido ao cinema assistir A Vida Secreta de Walter Mitty sem qualquer expectativa, sem saber nem mesmo muito da sinopse… e me encantar com a história. O protagonista, que foi um jovem bastante aventureiro, foi obrigado a crescer rápido demais após a morte do pai, abandonando todos os projetos e sonhos que tinha até então.

Walter se perde em devaneios, sonhando acordado enquanto a vida passa por ele sem que ele consiga participar dela… até ser jogado no mar com tubarões no meio da tempestade e perceber de repente que não está mais sonhando: aquilo está acontecendo de verdade.


A apatia em que Walter se deixou mergulhar após a perda do pai faz com que ele se paralise diante do que acontece ao seu redor, acomodando-se ao papel que deve representar como ‘homem da família’. Ele só reage quando é forçado a isso, mas as aventuras que vive no cumprimento de seu dever atrás do fotógrafo responsável pela última capa impressa da revista em que Walter trabalha acabam fazendo com que ele torne a tomar gosto pela vida.

Eu confesso que me identifiquei insanamente com algumas das reações do Walter no filme…


Ísis: Preciso chegar a esse filme… Lulu já o mencionou várias vezes… >.>

Lulu: Precisa mesmo…

E, para completar a lista desse mês, vou indicar Sherlock Holmes, criação de sir Arthur Conan Doyle, cuja caracterização se presta a muitos diagnósticos. Sherlock passa por períodos de intensa atividade e quase euforia, para então mergulhar num tédio profundo, incapaz de levantar do sofá, atacando o violino com melodias fúnebres e voltando-se para a cocaína como forma de lidar com o mundo. Sua dificuldade em se relacionar com outras pessoas - exceto pelo bom Doutor Watson - faz muita gente pensar nele como portador de algum grau de autismo.


Fato é que o intelecto de Holmes é um dos fatores de isolamento do detetive em relação ao resto da sociedade. Essa questão foi muito bem explorada na série da BBC, mas é possível enxergá-la no cânone com facilidade também.

Enfim, esse é o vertigem desse mês, um pouco mais corrido que o normal pela falta de tempo das escritoras, mas não podíamos deixar passar em branco, não é? Os personagens que indicamos podem, canonicamente, até não serem diagnosticados com depressão - ou outros problemas mentais - mas servem para que pessoas que sofrem com isso se identifiquem, percebam que não estão sozinhas, talvez até procurem ajuda. São personagens que se prestam ao debate, que nos fazem lembrar que depressão, ansiedade são são 'frescura', mas problemas reais com consequências que podem, sim, se tornarem trágicas. E por mais clichê que possa soar, a verdade é que se reconhecer como alguém deprimido e ter coragem de buscar ajuda, de falar sobre o assunto, é um primeiro passo.

Por hoje é só, então, e em outubro tem mais uma lista. Até lá!


Nove Personagens para Discutirmos Depressão

1. Katsuki Yuri, de Yuri!!! on Ice
2. Victor Nikiforov, de Yuri!!! on Ice
3. Bisonho, de Ursinho Pooh
4. Tony Stark, de Homem de Ferro
5. Professor Lyall, da série O Protetorado das Sombrinhas
6. Walter Mitty, de A Vida Secreta de Walter Mitty
7. Asato Tsuzuki, de Yami no Matsuei
8. Kyo, de Fruits Basket
9. Sherlock Holmes, da série de livros de Sir Arthur Conan Doyle


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog