8 de dezembro de 2016

Desafio Corujesco 2016 - Um Livro Publicado esse Ano || Farmácia Literária

Nossos remédios não são algo que você vai encontrar na farmácia, e sim na livraria, na biblioteca, ou poderá baixá-los em seu dispositivo eletrônico de leitura. Somos biblioterapeutas, e nossas ferramentas de trabalho são os livros. Nossa botica contém bálsamos balzaquianos e torniquetes tolstoianos, unguentos de Saramago e depurativos de Perec e Proust. Para criá-la, percorremos dois mil anos de literatura, em busca das mais brilhantes mentes e leituras restaurativas.
O uso de livros como terapia não é uma ideia nova. Em relatos sobre a Primeira Guerra Mundial, há muitas instâncias em que soldados eram receitados livros para lidar com o que então se chamava de ‘fadiga de combate’. Em suas Memórias da Segunda Guerra Mundial, Churchill afirma ter se utilizado do bucolismo de Jane Austen para lidar com o estresse de seu trabalho e há dezenas de testemunhos no mesmo sentido em Quando os Livros Foram à Guerra. Num nível um pouco mais pessoal, tenho uma amiga americana que após perder a filha num acidente, passou anos se entupindo de antidepressivos, até que indicassem a ela um biblioterapeuta - e se ela não superou a morte da filha, ao menos aprendeu a lidar com o luto de uma forma menos destrutiva.

E sim, biblioterapia é algo que realmente existe e há profissionais capacitados para atuar nesse sentido - nunca ouvi falar de nenhum aqui no Brasil, e não fosse pela Terry e por vários artigos que já apareceram no meu feed de notícias, eu provavelmente diria que esse é o tipo de remédio que não nos é prescrito, mas auto-medicado. E não estou falando de auto-ajuda, mas de ficção; ficção como forma de aprender pelo exemplo, de compreender empatia e para descobrir que não estamos sozinhos. Eu mesma sou usuária contumaz desse tipo de tratamento. Assim é que a publicação de Farmácia Literária: Mais de 400 Livros para curar males diversos, de depressão e dor de cabeça a coração partido me chamou a atenção de imediato, ainda que, no final das contas, eu tenha comprado o livro de forma bastante impulsiva (para completar o valor do carrinho para ter frete grátis na Black Friday…).

Farmácia Literária é um misto de crítica literária e farmacopéia. O livro é estruturado em tópicos que passam por títulos para discutir adoção e abandono, lidar com luto, vício, fobias diversas, diarréia e ejaculação precoce (!) até males ligados à própria leitura - aflito pelo número de livros em casa e no mundo são dois deles com que me identifiquei particularmente. As autoras fazem análises rápidas dos volumes que estão indicando para cada tratamento, explicando o porquê da importância de cada um para o diagnóstico proposto; tudo isso numa linguagem simples e cheia de bom humor.

Li o volume inteiro, de cabo a rabo em dois dias, com o mesmo tipo de prazer que tenho em me perder nas páginas de crítica de Eco e Manguel, e terminei com uma lista maior que meu braço de (ainda mais) livros que quero ler. Mas esse é o tipo de título que não precisa ser devorado de uma vez, mas guardado como fonte de referência, para ser consultado sempre que você achar necessário.

Terminando por hoje, descobri que as autoras mantém um site e que também receitam livros por lá para casos mais específicos deixados em sua caixa postal. Para todos que acreditam no poder transformador das histórias, vale à pena conhecer e se refastelar com os remédios prescritos em Farmácia Literária.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: Farmácia Literária
Autor: Ella Berthoud e Susan Elderkin
Tradução: Cecília Camargo Bartalotti
Editora: Verus
Ano: 2016

Onde Comprar

Amazon || Cultura || Saraiva || Submarino


A Coruja


____________________________________

 

Um comentário:

  1. UAU!!!! Já coloquei na minha lista na Amazon, e descobri que elas tem uma versão desse livro para crianças :-D
    O meu foi bem mais pesado, sobre violência em escolas
    http://leiturasdelaura.blogspot.com.br/2016/12/this-is-where-it-ends.html
    Mas vale a leitura!
    Agora vou fazer minha lista para o próximo ano! <3
    Beijos!

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog