10 de novembro de 2015

O Bode Leu - Os Filhos de Anansi



Fat Charlie tem uma vida tranquila. Empregado em uma empresa de seguros, de casamento marcado com uma noiva amável e uma vida longe de seu embaraçoso pai. Até que o embaraçoso pai em questão morre, de maneira embaraçosa. Durante o embaraçoso funeral, Fat Charlie descobre que tem um irmão do qual nunca havia ouvido falar e com quem, após uma atípica noite de bebedeira, acaba entrando em contato. E é aí que tudo começa a dar errado para Fat Charlie.



 Os Filhos de Anansi se passa no mesmo universo de Deuses Americanos, mas tem um tom bem mais leve. O tom do livro é mais bem humorado, o que torna a leitura bem rápida e agradável. Como a maior parte dos livros que tenho lido atualmente, ouvi o audiobook na voz de Lenny Henry, e ouvi em meras três tardes.

As peripécias que Fat Charlie se mete com ou sem a participação do irmão Spider são extremamente hilárias. A veia cômica que Gaiman demonstrou junto do saudoso Pratchett em Belas Maldições ganha bastante força aqui, esclarecendo de vez as dúvidas de que o autor também sabe ser engraçado.

No geral, Filhos de Anansi é uma leitura que eu achei bem agradável, e ao meu ver funciona bem como uma “introdução à Gaiman” para novos leitores e, claro, como um “prólogo” para a leitura de Deuses Americanos.
O Bode


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog