14 de maio de 2015

O Bode Leu: Joe Golem e a Cidade Submersa

Tell me of real ghosts, a bloodthirsty vampire, children-eating boogeymen, all of that is my area of expertise. Not this vast, incomprehensible cosmic insanity!

-Simon Church
Este livro veio num pacotão de presente que a Lu me deu ano passado, com outros livros de terror e afins. Com essa recomendação e um dos nomes estampados na capa, eu não poderia deixar de dar atenção à Joe Golem e a Cidade Submersa.

Para aqueles que não conhecem, Mike Mignola é responsável pela criação de um dos melhores personagens de quadrinhos alternativos que você vai encontrar por aí: Hellboy. Se você precisa de apresentação à esse nome, pode ir procurar algumas histórias ou os filmes, eu espero.

[...]

E então, o que acharam?

A parceria que nos presenteou com Baltimore e o Vampiro, agora nos traz a história de Molly McHugh, uma garota de rua vivendo em uma Nova York alternativa, que após uma série de terremotos na década de 20, está parcialmente submersa. Esta é uma história que mistura vários elementos já conhecidos de leitores de Mignola, como a parte de investigação sobrenatural, mas adicionado de vários outros elementos.

Para mim, esta foi uma leitura fantástica, por vários motivos. Eu nunca escondi que sou fã de leituras de terror, e este livro tem um clima um tanto quanto mais leve que a maior parte do que já li. O clima de terror pulp e investigação noir é outro ponto fortíssimo a favor deste título, o que me lembrou bastante as histórias de H.P. Lovecraft e a série animada do Batman dos anos 90.

As ilustrações de Mignola ajudam bastante a entrar no clima, e são bem frequentes para ajudar neste quesito, sem nunca tentar tomar o lugar do texto. Embora não seja um livro muito volumoso, ele com certeza vai prender a atenção dos leitores em cada uma das páginas. E um detalhe adicional... a MGM adquiriu os direitos para uma adaptação para as telonas!

O Bode


____________________________________

 

2 comentários:

  1. Na hora que bati o olho nesse livro, pensei com meus botões "Déeeeeeeeeeeeeeeeee, preciso levar isso para o Dé!" Claro que antes de despachar no seu super pacote de presentes eu li e ao terminar de ler repeti de novo "TENHO DE FAZER O DÉ LER ISSO, ELE VAI ENTENDER!" (não posso dizer o que ele entendeu sem dar spoiler, mas, caramba, AQUELA cena...)

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog