4 de abril de 2015

Desafio Corujesco 2015: Um Gênero Bem Diferente || 1602

"We are a boatful of monsters and miracles, hoping that, somehow, we can survive a world in which all hands are against us. A world which, by all evidence, will end extremely soon. Yet I posit we are in a universe which favours stories. A universe in which no story can ever truly end; in which there can only be continuances. If we are in such a universe, as I hope, then we may have a chance"
A princípio, quando estava elaborando minha lista do Desafio Corujesco, tinha imaginado falar de steampunk nessa rodada. Mas o livro que escolhi para tanto não conseguiu me conquistar o suficiente para que eu quisesse falar dele (não é necessariamente que ele fosse ruim, só que não consegui ter qualquer empatia por nenhum dos personagens…).

Fiquei então pensando com meus botões, olhando para minha estante e em algum ponto dessa história decidi que ia passar abril escrevendo resenhas de todos os últimos livros do Gaiman que li, com direito a sorteio e tudo o mais. E 1602 era perfeito para entrar no meu ‘bingo’ cruzando Gaiman e o tema do Desafio.

Gosto de quadrinhos e gosto de histórias de super-heróis. A despeito disso, leio muito pouco do gênero porque não tenho paciência para passar meses (às vezes, anos) para saber qual será o desenlace de uma determinada história. Em vez disso, leio os resumos dos arcos que me interessam e assim ficamos todos felizes.

Nesse aspecto, 1602 é uma história sob medida para mim porque ela é uma minissérie – foi publicada originalmente em quatro fascículos – e quando me caiu em mãos, já tinha sido publicada em sua completude.

A história se passa (surpresa, surpresa) em 1602, na Inglaterra Elisabetana. Começamos sendo apresentados a Sir Nicholas Fury, responsável pela Inteligência do reino e Stephen Strange, mago e médico pessoal da rainha. Em seus respectivos papéis, eles têm de lidar com conspirações contra a vida da rainha, relíquias templárias, a inquisição espanhola, política do Novo Mundo e, por cima de tudo, uma tempestade que se avizinha e bem pode significar o fim do mundo.

É surpreendente como Gaiman consegue trabalhar personagens clássicos do cânone da Marvel dentro desse universo, respeitando suas origens e ao mesmo tempo fazendo-os ter todo o sentido do mundo num ambiente medieval: mutantes como bruxos para servir de lenha nas fogueiras da Inquisição parecia-me óbvio, mas eu realmente não sabia como o Homem Aranha e o Quarteto Fantástico, que estão tão intrinsecamente ligados à tecnologia moderna, poderiam ser explicados aqui... mas ele conseguiu fazê-lo.

1602 tem vários dos meus elementos favoritos numa narrativa – História alternativa, vários núcleos de personagens que se alternam e se entrelaçam para que tudo possa fazer sentido, intrigas palacianas, política e preconceito. Gostei tanto que não me importaria de ver mais nesse universo, mas creio que faça sentido fechá-la da maneira como acontece.

É difícil no momento encontrar essa minissérie aqui no Brasil – dá para achar os fascículos em português em sebos com algum esforço (os meus foram um presente) – mas já está previsto o lançamento do encadernado na coleção Graphic Novels Marvel/Salvat. Caso não queira esperar em português, o encadernado em inglês não é difícil de encontrar.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: 1602
Autor: Neil Gaiman
Ilustrações: Andy Kubert e Richard Isanove
Editora: Marvel Books
Ano: 2010
Número de páginas: 248

Onde Comprar

Amazon || Book Depository || Cultura || Saraiva

Agora, antes que eu me esqueça... Como teremos um mês ‘temático’ tagarelando sobre Gaiman... vamos ter sorteio também! Valendo uma edição de A Verdade É uma Caverna nas Montanhas Negras e mais um trio de marcadores de imãs feitos pela Design by Angel inspirados nesse livro, em Deuses Americanos e Sandman!



Para participar, basta comentar (comentar e não apenas deixar o nome e email, embora isso também seja necessário) qualquer uma das resenhas sobre os livros do Gaiman que serão postadas durante todo o mês. Todos os comentários receberão um número para sorteio dia 01 de maio. E sim, se você comentar em mais de uma resenha, vai receber mais de um número para participar do sorteio, o que aumenta exponencialmente suas chances de ganhar!


A Coruja


____________________________________

 

18 comentários:

  1. Eu cheguei a começar a ler essa minissérie, mas não consegui concluir e nem encontrar pra concluir, o que é uma pena porque eu achei a ideia incrível e estava gostando da história :( Mas se ela vai ser republicada... pelo menos ainda tenho a esperança de concluí-la!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito à pena, Laís. Eu adorei ler, achei a idéia muito interessante e muito bem desenvolvida. Espero que a republicação seja logo. O bom dessa coleção da salvat é que são capas duras e não é muito caro.

      Excluir
  2. Caraca! Achei essa mistureba de personagens e histórias bem interessantes! E histórias que se passam na Inglaterra Elisabetana... <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é mesmo, Tatá. Um dos melhores quadrinhos da marvel que já li. Pra ser perfeito, só faltou aparecer Shakespeare XD

      Excluir
  3. SORTEIO!!!! GAIMAN!!!!! Claro que estou dentro! <3 <3 <3
    Então, tenho uma confissão muito feia para fazer, nunca li nenhuma graphic novel ou quadrinhos escrito pelo Gaiman... mas já um monte dos livros dele :-) Ainda vou me redimir...
    Até lá, já estou concorrendo???? XD
    Quanto ao Desafio Corujesco, escolhi uma Graphic Novel da iraniana Marjane Satrapi, mas a resenha ainda não ficou pronta... depois posto aqui :-)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E gente, a minha memória horrorosa esqueceu que esse ano eu li sim uma quase Graphic Novel do Gaiman! Li "The sleeper and the spindle", que é um livro ilustrado, não uma Graphic Novel, mas vai que conta, né? rsrsrsrsrs

      Excluir
    2. segue a minha resenha do desafio desse mês :-)
      http://leiturasdelaura.blogspot.com.br/2015/04/frango-com-ameixas.html

      Excluir
    3. Sim, já está concorrendo e não se preocupe de não ter lido ainda... Tem tanta coisa dele para escolher que a gente até fica meio maluco...

      Excluir
  4. Isso me fez lembrar que estou com a Parte Um e Parte Dois de 1602 em casa (emprestado de amigo...socorro!!!) faz uns dois ou três anos e não li até hoje. Nem sabia que eram em 4 partes. Agora você me fez ir lá, pegar as revistas e colocar na lista de leitura, porque a vergonha bateu forte aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo procurar as partes três e quatro antes de começar ou vai morrer de frustração sem saber o que acontecerá a seguir ;)

      Excluir
  5. Eu adoro essa minisérie, e adorei que tu gostou ;)
    Lembro que foi um sustão quando li, é bem diferente mesmo, mas Gaiman é mestre em tecer histórias assim, adoro!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, fiquei feliz da vida quando recebi o pacote dela que você mandou - e completinha, melhor ainda! Fazia era tempo que eu estava atrás da série e vivia na expectativa de que ela fosse finalmente relançada, mas aí, nada... Agora parece que vai, tem previsão de ser publicada esse ano ainda.

      Excluir
  6. Caramba, como é que eu nunca soube da existência dessa HQ? Sempre fico com o pé atrás em ler quadrinhos. Nunca acho uma história que me prenda de verdade e Sandman é tão grande e dividido em tantos extras e edições especiais que fico perdida que nem barata tonta pra ler. Agora sinto que tenho uma chance: Gaiman + Inglaterra Elisabetana + 4 fascículos! \o/

    (Adicionando meu nome aqui no finzinho só pra garantir. Vai que eu tiro essa coisa linda de A Verdade É uma Caverna nas Montanhas Negras)
    Fernanda Castro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela tá sumida do mercado faz um tempinho, é difícil de encontrá-la mesmo... mas com sorte, a Salvat vai publicá-la ainda esse ano!

      Sandman é grande mas vale muito, muito à pena. Dá para ignorar os inúmeros spin-offs se isso te deixa confusa - a história em si é contada em dez encadernados, que foram transformados em quatro volumes gigantes nas versões absolute, que é a que temos encontrado hoje em dia.

      Excluir
  7. Sempre gostei de super-heróis, mas também nunca tive paciência para ler as inúmeras histórias da DC, Marvel, etc. Gosto de histórias pequenas, como Batman Ano 1, Warchmen, ou mesmo essa, que sempre tive vontade de ler, afinal: Gaiman, super-heróis, de época. Por isso também tenho preguiça de ler Sandman, que todo mundo diz que é ótimo. Não se se você já conhece mas recomendo imensamente Saga, de Brian K Vaughan (Y - The last man, que não conseguia parar de ler) e Fiona Staples, a história é incrível, e a arte é 'terrífica'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, é problemático conseguir acompanhar revistas e cronologias que vem sendo publicadas há décadas já... O Sandman é grande, mas é uma história já fechada e que dá para ler rápido. Quanto às sugestões, anotarei aqui! Não conheço nenhum deles, mas já me falaram muito bem de Saga.

      Excluir
  8. Esse foi provavelmente um dos primeiros do Gaiman q tive o prazer de ler, por acaso tenho a edição em Capa dura dele, faz tanto tempo q nem me lembro direito da estória (devo ter lido em 2008/2009), deu até vontade de reler. Muito bom o blog, to adorando o mês temático do meu autor favorito <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazia tempos que eu estava atrás dele... pensei em encomendá-lo em inglês, mas aí vi a notícia de que ele ia sair em português e decidi esperar... e aí ganhei os quatro fascículos de presente... Era um sinal, não é verdade? XD

      Excluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog