19 de março de 2015

Para ler: Jogador nº 1

O melhor ainda era que, no OASIS, ninguém sabia que eu era gordo, tinha espinha ou que usava as mesmas roupas feias toda semana. Os valentões não podiam cuspir em mim, encarar-me ou me bater depois da aula. Ninguém podia me tocar. Ali dentro, eu estava seguro.
Ganhei esse volume em um amigo secreto do Clube do Livro e enrolei um bocado para ler, tendo em vista – como de hábito – a lista quilométrica de títulos que havia na frente. Mas, por fim, começamos – e uma vez tendo começado, foi difícil largá-lo.

Jogador n.º 1 é contado em primeira pessoa por Wade Watts, num futuro distópico bastante caótico – exceto pelas cores emprestadas ao mundo pelo OASIS, sistema de realidade alternativa em que muita gente prefere viver.

Mas mesmo essa realidade encontra-se ameaçada. O criador do OASIS, James Halliday, morreu e decidiu fazer de seu legado um jogo onde quem chega ao final ganha não apenas sua fortuna, mas também o controle da empresa responsável pelo sistema.

Wade é um dos ‘caçadores de ovos’, pessoas que se dedicam a procurar as pistas (easter eggs) deixados no OASIS que levam ao grande prêmio. Considerando que Halliday era fascinado pela cultura da década de 80, essas pistas estão todas ligadas a essa época.

Assim é que Wade – e outros caçadores de ovos – torna-se praticamente um dicionário ambulante de jogos, séries, filmes e músicas dos anos 80. E aqui se encontra parte da graça da leitura de Jogador n.º 1, especialmente para a geração que viveu essa cultura: a familiaridade com os ícones citados ao longo da história.

No meio do caminho de Wade existem aliados interessantes e uma multinacional maléfica (pausa para treinar a risada maligna) tentando colocar as mãos no OASIS e seus royalties.

É uma aventura divertida, com narrativa bem amarrada, ritmo rápido e um prato cheio para os nostálgicos.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: Jogador nº 1
Autor: Ernest Cline
Tradução: Carolina Caires Coelho
Editora: Leya
Ano: 2012
Número de páginas: 464

Onde Comprar

Amazon || Cultura || Saraiva


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog