14 de outubro de 2014

Projeto Dresden: Ghost Story

ATENÇÃO: A SEGUINTE RESENHA CONTEM SPOILERS!
LEIA POR SUA CONTA E RISCO.
“It bothered me that he was right. Without Sir Stuart's intervention, I'd have been dead again already.

That's right--you heard me: dead again already.

I mean, come on. How screwed up is your life (after- or otherwise) when you find yourself needing phrases like that?” 

Harry Dresden está morto. Ou coisa parecida, ao menos o bastante para garantir que ele termine como um fantasma. Eis que, mesmo morto, Harry tem um caso para resolver: desvendar seu próprio homicídio! 

Eis que Butcher nos surpreende mais uma vez, simplesmente MATANDO O PERSONAGEM PRINCIPAL de sua série, no final do livro anterior. Mas nada de descanso eterno para Harry, que logo é chamado para voltar ao mundo mortal, mesmo que como fantasma. E meus amigos... como o mundo precisa...

Acontece que a morte de Harry foi bem mais significativa do que ele imaginava. Não apenas a cidade está virada dos pés à cabeça, como todos os seus amigos sofreram com sua ausência. Murphy e Molly são os casos mais graves, especialmente Molly. A coitada realmente NÃO ficou bem, e basicamente NADA a ajuda a lidar com a perda. O desenvolvimento de todos os personagens é bem interessante de se ver, como cada um está levando sua vida sem Harry, o que nos faz ver como ele era importante na vida de todos.

Vale dizer que este é um dos livros, senão O LIVRO, que menos gostei. Não sei exatamente o por que, mas este simplesmente não teve o mesmo atrativo que os demais. É curioso, vendo a quantidade de coisa que é bem desenvolvida aqui, seja o uso de personagens que vimos antes, seja o mistério e o desfecho.

O Bode


____________________________________

 

Um comentário:

  1. Interessante que várias pessoas não gostaram de Ghost Story, mas eu gostei bastante desse livro. Tive problemas com Changes. Passei Changes inteiro xingando todo mundo, em especial Harry. Já Ghost Story eu imergi nos acontecimentos e adorei ver o Harry refletindo e todo mundo lidando com o reaparecimento dele como shade.
    A única coisa que me incomodou um pouco neste livro foi a forma como eles fizeram de Harry imprescindível para a estabilidade de Chicago. Esse endeusamento do personagem me preocupa um pouco.
    Agora, sofri horrores com a Molly ao longo do livro. Como eu gosto da personagem! E foi duro ver o quanto ela vinha se autoflagelando por conta das coisas que o Harry fez.
    O mais interessante é que Harry chegou ao outro lado, mas não de verdade, então ele e todo mundo continua na ignorância do que vem depois :D

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog