26 de junho de 2014

Livros Para Assistir: O Homem Invisível


A vida na pacata cidadezinha de Iping tem sua rotina perturbada com a chegada de um visitante misterioso. Completamente coberto, incluindo luvas, bandagens no rosto e óculos escuros (mesmo durante a noite). Os experimentos, o trato social (ou melhor, a FALTA dele) e suas excentricidades logo viram o assunto principal das conversas da cidade, e a população fica cada vez mais curiosa acerca do visitante. A paciência do homem se esgota rapidamente, e ele então rasga as bandagens para revelar... nada.

Umas das obras mais conhecidas do mestre H.G. Wells,  O Homem Invisível conta a história do Dr. Jack Griffin, um brilhante cientista que cria uma fórmula capaz de tornar uma pessoa invisível. Sem recursos para mais pesquisas, ele testa a fórmula nele mesmo buscando meios (ilegais) de financiar sua pesquisa para reverter os efeitos. A história é baseada na lenda do Anel de Gyges, que indaga se um bom homem continuaria a ser bom caso suas ações não pudessem ser testemunhadas e ele, então, poderia agir impunemente.


Em 2000, o livro recebeu (mais) uma adaptação chamada O Homem sem Sombra, estrelando Kevin Bacon no papel principal. A história segue mais ou menos a linha do livro: um cientista desenvolve uma fórmula capaz de deixar uma criatura invisível, e acaba testando o processo em si mesmo. Incapaz de reverter os efeitos, suas ações são cada vez mais amorais e pertubadoras. 


Dirigido por Paul Verhoeven (o mesmo de RoboCop, O Vingador do Futuro e Tropas Estelares), o filme é... bom, não tem como não dizer que o filme é uma droga. O próprio diretor declarou recentemente que não gostou do filme, pois não tem a "sua assinatura". De fato, as críticas também caíram em cima do filme. Admito que quando o assisti pela primeira vez, gostei do filme, mas avaliando novamente vejo como ele é ruim.


Mas dando à César o que é de César, os efeitos visuais do filme são excelentes. Claro, as cenas aonde o personagem-título está nu não precisam de efeito algum, mas a questão é que muitas das cenas ele ESTÁ lá. Basta olhar as fotos que ilustram este post para ter uma ideia do que foi feito. O trabalho foi tão bom que rendeu uma indicação ao Oscar! Claro, ele perdeu para Gladiador, mas perder pra esse filme não deve ser vergonha pra ninguém. XD


Apesar das críticas negativas, o filme foi a maior bilheteria de Paul Verhoeven desde Instinto Selvagem, o que não é um pequeno feito. Como curiosidade adicional, este foi o único filme do diretor a não precisar passar por cortes para receber a classificação indicativa. 


Eu seria muito hipócrita se recomendasse que vocês vissem esse filme, tendo o achado tão ruim. Existem várias adaptações do livro, seja filme, série de TV, quadrinhos ou até mesmo livros, algumas boas, outras nem tanto. Admito que das que vi, não achei muitas boas, apesar de ter gostado do livro. Meu conselho final é, se quiserem conhecer melhor a história de O Homem Invisível, vão direto na fonte e leiam o livro.

Como sempre, assistam (ou leiam), deem suas opiniões e até o mês que vem, com mais Livros para Assistir!

O Bode


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog