30 de dezembro de 2013

Conversas Sobre o Tempo: Acumulando 2013 milhas...

Lulu: Ao longo de 2013 eu, como diria minha avó, ‘andei mais que notícia ruim’. Comecei o ano em Belo Horizonte, para o IV Encontro Nacional da JASBRA, quando palestrei sobre Orgulho e Preconceito, mitologia, contos de fadas e Shakespeare e tive também a oportunidade de encarnar de vez a Miss Darce (e até saí na Jane Austen’s Regency Word ao lado da Adriana Zardini).


Aí em fevereiro decidi ir brincar carnaval no ritmo do tango: embarquei para Buenos Aires com uma das minhas tias e passei quatro dias na base do churrasco e do alfajor.

Ísis: E NÃO ME MANDOU NENHUM, SUA GULOSA?!?!?! Sabendo que é um dos meus doces preferidos?!?!.

Lulu: Ai, meu pai... agora que me toquei disso... Ísis, DESCULLLLPAAAAAAAAA!!!!

Dani: Aaaahhhh!!! Também queroooooo!!!

Lulu: Agora vocês terão de esperar eu viajar de novo...

Ísis: *BUFANDO, NADA FELIZ

Lulu: Mas, voltando...

Nessa ocasião saí perseguindo a imagem de Borges pela cidade – o hotel onde fiquei estava a uma rua de distância de onde ele morou; tomei café no mesmo café que ele tomava, aluguei o guia para falar sobre ele... Também conheci uma das livrarias mais bonitas do mundo, a El Ateneo, cujas instalações foram um teatro antes de se tornarem livraria. E o teatro Colón (
Dé: Eu. Não. Posso. Rir! Lulu: Bem, se vale de consolo, eu ri...), que é simplesmente magnífico e onde eu bem gostaria de voltar para assistir uma ópera.


Ísis: Eita, lindo mesmo o teatro! E adorei a ideia de uma livraria num (ex-)teatro. (AINDA BUFANDO)

Dani: Lu, suas viagens não fazem bem para minha saúde! *morre*

Lulu: Agosto, mês de férias (ao menos pra mim), embarquei para o outro lado do Atlântico de novo. Comecei pela Inglaterra, disposta a bater todo o meu roteiro histórico-cultural custassem as bolhas que custasse. De fato, todas as noites eu tinha de fazer um escalda pés, mas, oh, como valeu à pena...




Dani: *morre²*

Lulu: Além de Londres, fiz uma estratégica passada em Bath, a cidade onde se passam parte das histórias de A Abadia de Northanger e Persuasão. Bath é linda e eu gostaria de retornar – Não apenas pelas referências austenianas, mas porque a cidade parece um bibelô, com uma tremenda riqueza cultural.

O divertido é que em dois dos lugares que fui – o Fashion Museum e o Jane Austen Centre, éramos convidados a nos vestir com roupas de época. Claro que não deixei passar a oportunidade...



Dani: *ressuscita* Fashion Museum? Nossa eu que gostaria de ir nesse... T.T

Ísis: Ei, gostei! Se algum dia eu voltar a pisar em Londres (como eu odeio aquele lugar!!! >.<), passarei por aí! Parece bem interessante! (E na casa de Sherlock Holmes também... :D) 

Dani: Gente, o que Londres te fez??

Lulu: Você não gosta de Londres, Ísis? Mas por quê?

Ísis: A cidade é bonita, e talz, e bem menos poluída do que se imagina (pelo menos na 2ª vez que eu fui) – mas o povo... >.< (*começa a ficar com raiva de novo).

Lulu: Engraçado... tive uma impressão completamente diferente da sua. Fui muito bem recebida desde que cheguei no aeroporto - estranhos me ajudaram a carregar a mala nas escadarias do metrô, sempre tinha gente disposta a te atender quando você pedia uma foto, para te responder perguntas de direção... Achei o pessoal muito mais seco em Paris que em Londres.

Mas o ponto alto da nossa semana inglesa foi assistir Sonho de Uma Noite de Verão no Globe Theater. Eu nunca tinha visto uma peça do bardo no teatro e foi uma experiência absolutamente fantástica. Eu chorei de rir no teatro.

Quero voltar!!!

Já vi que ano que vem as peças que estarão em cartaz no Globe serão Antonio e Cleópatra, Tito Andrônico, A Comédia dos Erros e Júlio César. Minhas férias serão em setembro e já estou começando a me organizar e programar e se der certo o que estou pensando em fazer, ver qualquer uma dessas peças me deixa feliz.


De Londres, seguimos para Paris, onde se foi outra semana. Estive em Paris ano passado e não esperava voltar à cidade tão cedo, por mais que eu tenha me apaixonado por ela. Mas viajei com minha prima e ela queria ir à França, então Paris entrou no roteiro e eu servi de guia turística, vez que me lembrava o suficiente das coisas e de por onde ir para os lugares que ela queria ver.

Fomos a Giverny – que continuo considerando o lugar mais lindo do mundo...



...a Versalhes – dessa vez com menos calor, de forma que pude afinal conhecer os famosos jardins, e o Grand e Petit Trianon -, reencontrei a Claire (já falei do nosso passeio aqui); comi num restaurante freqüentado por Voltaire, Rousseau e outros iluministas e de uma forma geral andei até não sentir mais meus pés.


Ísis: Lindos, Mais lugares na minha lista (infinita) de cantos a visitar (Versalhes, quando fui, não estava com os jardins abertos porque era pleno inverno).

Dani: *morre de novo* Senhor... isso é uma overdose para os olhos...

Lulu: Vale muito, muito à pena. Em especial Giverny. Sempre vale à pena voltar a Giverny.


O ponto alto dessa vez foi o cruzeiro pelo Sena. No ano passado, fiz esse passeio, mas durante o dia e começou a chover... dessa vez, peguei o cruzeiro à noite e, sério, Paris, à noite, pelo Sena, é mágico...



Partimos para Florença – e que cidade linda é Florença! De todos os lugares que visitei, acho que seria a cidade que eu gostaria de morar, não apenas visitar. Para além do legado cultural e histórico – Dante e Maquiavel, além de um sem número de outros artistas são daqui – a cidade está numa região encantadora. E existe uma tranqüilidade, um senso de paz tão grande...

Fiquei apaixonada.


Após Florença, nos perdemos em Veneza... E sim, falo perder-se no sentido literal. Nunca subi e desci tanta ponte na vida.


Ísis: HUAHUAHUAHUAHUA! Mas é linda, e eu amei esse número enorme de pontes! ^^


Lulu: ...e brincamos em Pisa...


Dani: *ressuscita* Por que todos querem segurar Pisa?

Ísis: Nunca fui... Nem a Florença... T.T

Lulu: E finalmente terminamos nosso longo périplo em Roma.

Dani: Itália!!!! Terra dos meus avós!!!


*morre de vez* Só uma perguntinha, você só visitou Roma na Itália?


Lulu: Hã... bem, Florença, Veneza e Pisa também são na Itália, não?

Ísis: Também não entendi a pergunta... Mas, cara, Roma pode não ser tão bem organizada quando Londres ou outras cidades europeias, mas é linda... E ela tem um ar de “passeio pela história” que só senti em Atenas (atenuadamente). Resumindo, é umas das cidades que mais amo (das quais visitei, lógico).

Lulu: Eu tive essa impressão, Ísis, de constantemente estar caminhando num pedaço de história, de estar viajando para outra época.

Mas eu tive essa impressão em todas essas cidades que visitei e não apenas em Roma. Talvez porque eu me interesse bastante pela história das guerras mundiais, pelas revoluções e, claro, pela literatura – e meus autores favoritos, em especial, são em sua maioria ingleses.

Vejamos por onde vou bater perna no ano que vem...


Ísis: Japão! \o/

Lulu: Algum dia, de preferência antes de voltares para o Brasil. Dê-me um tempo, mais cedo ou mais tarde vou te visitar aí...

Dani: Aliás, quando você volta ao Brasil, Ísis? Dependendo da época, irei para o Norte e poderemos reunir a família! ^^ (Aliás, Lu, é uma promessa, ano que vem estarei aí! Só não sei bem quando ainda. Preciso coordenar com as suas viagens)

Lulu: A Ísis estará aqui entre julho e agosto. Meu plano é tentar ir vê-la na primeira quinzena de agosto, porque tem o feriado do dia do advogado que cai numa segunda...

Até lá, também faço minhas viagens literárias e quero dizer que uma das melhores idéias que já tive (ou que me deram, confesso que a essa altura não sei mais...) foi criar um clube do livro. Ou dois, se formos levar em conta o clube virtual, mas hoje quero falar especificamente do clube que presido (há!) pessoalmente.

Em 2013 tivemos seis encontros: começamos o ano com A Abadia de Northanger, fomos para O Morro dos Ventos Uivantes, comemos bolo com As Aventuras de Sherlock Holmes, fizemos a décima releitura de Persuasão e terminamos em grande estilo com O Hobbit - encontro este de que até o Dé participou, diretamente importado de Fortaleza! \o/


Dani: Overdose de clássicos!!

Lulu: Sim, o clube do livro de que faço a mediação aqui é só para clássicos...

Para além disso, tivemos um encontro extra, um almoço para recepcionar a Terry Hubener, representante da JASNA, bem como comemorar três anos de clube.

A turma do clube não é fixa, vez que nossos encontros são totalmente abertos ao público; sempre tem gente nova, tem gente que não perde um, tem gente que aparece vez em quando... mas seja como for, os debates do grupo foram todos excelentes. Ter um lugar onde você pode ventilar suas frustrações literárias (falar mal de Romeu, meter o pau no Torpe Thorpe), encontrar novos pontos de vista (não é que o Capitão não é tão galante assim?), divertir-se com as tangentes e fazer amigos que gostam das mesmas coisas que você: isso, pra mim, é uma das melhores coisas do mundo.


Também pude reencontrar muitos amigos queridos que estão usualmente longe de mim... Em janeiro estive em BH, e além da turma da JASBRA, estive com o pessoal do clube do livro virtual que mora lá; em setembro, a Dynha, que é minha irmã do coração há quase dez anos, veio ao Recife e em dezembro, foi a vez do Dé aparecer.


Por causa das visitas da Dynha e do Dé, acabei por fazer uns passeios que normalmente não faria: fui a Porto de Galinhas, ao zoológico, ao Alto da Sé, naveguei no Catamarã...

A bem da verdade, Porto de Galinhas – que é uma praia e, portanto, um lugar estranho para Lulu (a despeito de eu ver o mar todo dia da minha janela) – só entrou no roteiro por um motivo: comer agulhas fritas.

A Dynha fez uma baita de uma cara de nojo quando viu os peixes olhando para ela (tanto que caiu de um arrecife e se arranhou toda...), mas eu e o Duda – que fez às vezes de “táxi glorificado”, caímos com gosto no prato.


Quanto ao Dé... deixarei que o próprio Dé nos conte sua experiência visitando o Recife, indo ao zoológico (onde o leão nos mostrou a língua), tomando sorvete em todo canto (sim, todo canto que íamos tomávamos sorvete... é o calor...) e participando de uma reunião do clube...




Dé: Primeiro de tudo: Luciana, eu te odeio e minha nutricionista também. =P

Ísis: KKKKKKKKKKKKKK!

Lulu: Mas férias é para sair da dieta! Se não, não tem graça. E o que você queria? Que eu te levasse para restaurante vegetariano??

Dé: Segundo: Da próxima vez que for tomar sorvete e não me chamar eu te bato. XD

Ísis: Ouch! Lu, fosse tu, eu ouvia o que ele tá dizendo... >.>

Lulu: Eu tenho a impressão de que estou batendo ponto em todas as sorveterias da cidade ultimamente... e Duda tem feito uma coleção de fotos minhas tomando sorvete em tudo quanto é canto...

Dé: Bom, tendo dito isso... Minha segunda ida à Recife e uma tradição minha continua: eu me perco em TODA cidade que visito. Sem exceção. Curiosamente, só “me achei” quando esbarrei na Livraria Cultura... Coincidência?


Dani: Todos os caminhos levam à Cultura. Pelo menos estre nós. ^^

Dé: Logo no primeiro dia que encontro a Lu e o Duda, as maravilhas das obras de (i)mobilidade urbana me deixam esperando por ela por cerca de... uma hora e meia? Estava sem crédito, então não podia ligar nem receber ligações, e meu 3G e o app do banco não estavam ajudando para realizar a recarga online, de modo que só consegui recarregar na hora que eles chegaram. Bem, como a Lu me recebeu com um pacotão de jujubas, não me importei muito com a demora. xD

Lulu: Fico aliviada que você me perdoa... especialmente a se considerar que eu fui o caminho inteiro para o zoológico dormindo, porque tinha ido para uma colação de grau no dia anterior e voltado para casa perto de duas da manhã... Quando acordei, entrei em pânico ao perceber que estávamos presos no trânsito e atrasados há mais de uma hora...

Eu ODEIO me atrasar.


Dé: E eu realizei um sonho!!! EU VI UMA HARPIA!!! E traumatizei uma criança, mas isso foi bônus.


Dani: Traumatizou uma criança??

Ísis: Só uma? O que houve com você? oO

Lulu: Estava havendo visita de colégio no zoológico... e tinha duas crianças na nossa frente na gaiola da tal harpia... aí o Dé solta que essa ave – que é uma predadora – pode sair por aí carregando crianças de cinco anos de idade...

Dé: E a Lu comeu um porquinho! Inteiro! XD


Lulu: Sorvete!

Dé: No dia seguinte fomos à Olinda. E que lugar lindo, pqp! Só não sou fã do excesso de ladeiras...

E adorei participar da reunião do Clube do Livro. Como esperado, a Lu praticamente monopolizou a reunião. “Praticamente” por que dividimos o monopólio... Coisa que eu realmente não esperava, já que nem de perto acho que tenho tanta leitura quanto a Lu, além de normalmente ser mais caladão, especialmente quando tem gente que não conheço por perto.


Lulu: Quem te escuta falar que eu ‘monopolizei’ a reunião acha que eu sou uma tirana desalmada que não deixa ninguém falar, quando o que ocorre é exatamente o contrário – eu passo o tempo inteiro encorajando o pessoal a dar sua opinião...

Ísis: Se você é assim tão boazinha, por que não tem uma caixa com alfajores a caminho do Japão... com meu nome escrito? ¬_______¬

Dé: Mas foi uma experiência legal, que espero conseguir repetir logo. =D

E Lu... Na próxima vez que nos encontrarmos, VOCÊ VAI PRO FOGÃO! VAI COZINHAR COMIGO!!! XD


Lulu: Sem maiores comentários...

Ísis: Desista, eu já tentei. Mas a Dona Mãe é muito possessiva com a cozinha dela... (Don’t really blame her though...)

Esse ano, eu não me movimentei tanto; foi mais pelo Japão mesmo.

Começando que me expulsaram do dormitório porque eu estava causando muitos problemas e... mentira. O prazo máximo é um ano, então a gente se mudou. Devo dizer que adorei dizer adeus praquela parede laranja, apesar dela me lembrar a lá de casa (que é igualzinha).


Nas férias de primavera (leia-se: fim de inverno), depois da prova pro mestrado (e aprovação! \o/), fui com alguns amigos pra Nagano, esquiar. Pela primeira vez na vida.

I royally suck at it. Period.


Ai começou o semestre e eu fui tentando me adaptar. Devo dizer que o horário do primeiro semestre quase me matou... principalmente o seminário com a minha supervisora, porque eu tenho que ler textos acadêmicos (de Direito) em japonês. E não – eu NÃO sou fluente nisso. Sério. Mesmo. Eu consigo ler mangás, mais ou menos. Mas textos acadêmicos estão num whole other level.

OBS: Recentemente tenho notado que minha (parca) habilidade de me expressar em português está indo de mals a pior.... >,< Quase ao fim do (primeiro) semestre, comecei a jogar o (novo – bem, foi lançado em Dezembro de 2012) jogo de Card Captor Sakura para celulares. Viciei-me BONITO nessa joça – aliás, viciei FEIO mesmo... >.< Mas o que posso fazer quando o CLAMP lança imagens exclusivas (novas) para o jogo? Tipo essa:

Morri, né? E também tinham imagens não originais, mas não menos lindas, como essa:


Mas algumas, tipo essa última, foram particularmente difíceis de conseguir! E uma das mais difíceis, mas também exclusivas, eu aproveito pra deixar como presente de Natal (E ESSA È MUITO DIFÍCIL, ENTÃO ME AGRADEÇAM POR ISSO! XD):


Voltando, foi então que chegaram as férias de verão, com seu calor horrível e umidade pior ainda (80% pra cima – é pior que Belém e Rio Branco, as duas cidades “amazonenses” em que estive...). Odeio essa época...

Mas também viajei um bocado por aí. Começando com o Tanabata, que, na verdade, é antes das férias. Tecnicamente, a data é sete de julho (7/7), mas diferentes cidades comemoram em diferentes épocas entre julho e agosto. Eu fui na comemoração de Anjou, que é perto daqui, e ocorre em agosto.


Meu, preciso dizer que aaaaaamooooo percursão, seja no Carnaval, no Axé, no Taiko... whatever.


Pouco depois disso, antes de voltar para o Brasil por um breve período, fui com um amigo pra Kyuushuu, por uma semana. Visitamos a caverna de Amaterasu, o castelo de Kumamoto e outros lugares... Mas ainda lamento muito não ter ido pra nenhum inferno! >.< *pausa dramática Um dos “estados” de Kyuushuu, Oita, é conhecido por seus onsen (banhos termais naturais), os oito mais famosos dos quais, em Beppu, são chamados de oito infernos. Mas eles fecham cedo (5 da tarde) e os ônibus que levam até lá também... >.<

Enfim, eu ainda vou!

Também teve o circuito de sumo, e eu admito que amei!


E, depois que voltei do Brasil – e só semanas depois percebi que tinha esquecido completamente de ir à exibição especial de Dragonball! >.< – começou o novo semstre, e também teve a parada de Nagoya, com um parade com carros alegóricos.


Nessa mesma época, começou o Outono, tempo de muitas cores:


Devo dizer que é uma linda estação! ^^

Agora estamos no inverno e está ficando cada dia mais frio, mas ainda não está insuportável, graças ao bom pai.


Lulu: Eu adorei as fotos outonais, Ísis...

Bem, pessoal... essa foi a nossa (breve) retrospectiva do ano que se passou. Continuemos os trabalhos que ainda tem mais por vir antes de encerrarmos 2013...


____________________________________

 

2 comentários:

  1. Muito legal ver as viagens.
    Muito lugar lindo.

    E Luciana, eu ri com você falando dos encontros. "Falar mal de Romeu, meter o pau no Torpe Thorpe". Só de ler eu comecei a rir aqui.

    Beijos,
    Feliz 2014!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, sempre divertido falar dos nossos encontros...

      E o plano é viajar mais em 2014. Estou pensando seriamente em ir à Escócia dessa vez. XD

      Excluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog