18 de julho de 2013

Projeto Baudelaire: O Hospital Hostil

Caro Leitor,

Antes de atirar no chão este livro horroroso e se afastar dele tanto quanto possível, talvez seja melhor entender por que você deve fazer isso. Este é o único livro que descreve até o último detalhe a miserável estadia das crianças Baudelaire no Hospital Heimlich — e isso faz dele um dos livros mais tenebrosos do mundo.

Existem muitas coisas agradáveis de ler; este livro não contém nenhuma delas. Em suas páginas, há elementos lamentáveis, tais como um desconfiadíssimo dono de armazém, uma cirurgia desnecessária e fatal, um sistema de intercomunicadores, anestesia, balões em forma de coração e uma notícia muito surpreendente sobre um incêndio. É claro que você não vai querer ler sobre essas coisas.

Jurei pesquisar esta história e escrevê-la o melhor que pudesse. Portanto, é natural que eu saiba que este livro deve ser largado agora mesmo no chão, onde provavelmente você o encontrou.

Respeitosamente,
Lemony Snicket
Livro novo, vida nova para os órfãos Baudelaire, que agora estão do outro lado da lei, após serem injustamente acusados de assassinar Jacques Snicket em A Cidade Sinistra dos Corvos. O Hospital Hostil é o oitavo livro da série e representa uma acentuada curva na história.

Eu gostei de Desventuras em Série desde o primeiro livro, mas confesso que foi a partir desse aqui que os livros de Lemony Snicket realmente entraram para minha lista de favoritos: nenhum dos volumes anteriores é um mar de rosas, mas a partir daqui, as coisas tendem a piorar muito em termos de teorias da conspiração... e é então que Violet, Klaus e Sunny demonstram todo o seu potencial.

Uma vez que estão fugindo da lei, os três irmãos estão por sua conta e risco – e essa é a primeira vez que isso acontece de facto. Tudo bem que a sucessão de cuidadores que eles tiveram até aqui muito deixava a desejar, mas eles ao menos davam a ilusão de que os Baudelaire não estavam sozinhos.

Por uma série de coincidências que estão obviamente ligadas à misteriosa sigla C.S.C., Violet, Klaus e Sunny vão parar no Hospital Heimlich, onde eles continuam a investigar os mistérios que vêm se sobrepondo desde o começo da série, ligados, inclusive, a morte de seus pais.

Há uma curiosa inversão de papéis aqui: em vez de ser o Conde Olaf disfarçado para pegar as crianças, são elas que se disfarçam para enganar os vilões – determinadas a tomar as rédeas da situação em vez de apenas esperar pela próxima desgraça a acontecer.

Violet chega a ser capturada, drogada e colocada entre os pacientes do hospital, marcada para uma cirurgia de ‘craniotomia’ (basicamente, Olaf quer serrar a cabeça da garota...) e, pai do céu, será que pode ficar pior do que isso?

Esperar para ver agora no nono volume...


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog