29 de junho de 2013

A Vertigem das Listas: Seis Personagens Secundários Cativantes


Dani: Bem leitores queridos de todo esse país (e que agora começamos a nos orgulhar! UHU!!!), estamos aqui, nesse mês revolucionário, com mais um Vertigem das Listas!

Dé: Revolucionário, mas que já estava mais do que na hora, convenhamos...

Lulu: Certamente, certamente. Estava assistindo a TV Senado semana passada e acho que nunca a vi tão cheia de gente acordada e trabalhando... Ainda há muito que se fazer, mas ao menos as coisas parecem que estão caminhando, não?

Ísis: Gostaria de dizer que sim, mas acho que é só cena... ou seja, continuemos às ruas! \o/

Dani: E o tema desse mês é Seis Personagens Secundários Cativantes. Porque, apesar dos tempos caóticos que estamos passando, merecemos uma descontração de vez em quando também... :)

Para minha primeira escolha, decidi por um personagem que me cativou desde a primeira aparição no baile com seu amigo carrancudo. Estou falando do Sr. Bingley de Orgulho e Preconceito.

Dé: Ei, desse até eu gostei! =D

Lulu: É realmente difícil desgostar dele... o Bingley é como um filhote ganindo nos seus calcanhares para conseguir um pouco de atenção, olhos enormes para maior eficácia quando te encara com olhar pidão.

Dani: Meu Deus... - -“ Depois dessa nunca mais verei Bingley com os mesmos olhos...

Mas enfim, mesmo que o seu foco não seja grande no livro (pelo menos não comparado aos personagens principais), sua personalidade é tão adorável e cativante que consegue chamar atenção mesmo assim. Ele é gentil, inocente e generoso, está sempre com um sorriso no rosto e aberto a conversar com qualquer um, igualmente interessado e divertido, e independente de que classe a pessoa seja. É impressionante quando o comparamos com seu amigo Sr. Darcy, tão preso por seus preconceitos e condutas sociais. Enquanto este decide avaliar a todos com restritos parâmetros de sua própria classe, o Sr. Bingley espera apenas o melhor de qualquer um, não importando quem seja...

Dé: Acho que o ponto forte do Sr. Bingley é a humildade, isso sim. Em uma história em que todos estão presos por, com o perdão do trocadilho, orgulhos e preconceitos, ele é um sopro de ar fresco na confusão toda. Sem falar que o nome dele é engraçado! XD

Ísis: Tanto que passei boa parte da história torcendo mais pelo Bingley que pelo Darcy...

Lulu: Concordo, concordo com todos os argumentos! Bingley é adorável, não há muito mais que se dizer.

Dé: Exceto que Mr. Bennet é um cretino sarcástico de primeira linha. XD

Ísis: Hein? O que foi que eu perdi? Tá que sempre achei o comportamento dele estranho, já que tem hora que ele segue prum lado, e depois pro outro (embora ele nunca tenha abandonado ou deixado de apoiar a filha, coisa que me fez amá-lo incondicionalmente só por isso), mas daí....

Dani: No livro ele é bem mais cretino mesmo. No filme até que fizeram ele mais legalzinho.

Voltando, eu só gostaria que tivesse mais cenas entre Bingley e o Darcy. Os dois são tão diferentes que eu gostaria muito de ver que tipo de interação eles têm. É muito estranho eles serem amigos.

Ísis: Concordo demais! Também senti falta disso! ^^

Lulu: Eu li algumas versões alternativas da história – há vários livros que são continuações ou versões dos originais de Austen – e encontrei mais de um autor que explora, e explora muito bem, essa amizade dos dois. Em especial, eu indicaria a trilogia escrita pela Pamela Aidan.

Dé: Nos pântanos de Dagobah minha primeira escolha vivia, e uma figura lendária se tornou. Muitos heróis durante sua vida treinou, e figura respeitada ele era, até que o Império tudo mudou. Para seu planeta natal o velho mestre retornou, e em isolamento, até que jovem Skywalker por ele procurar. E assim, mestre Yoda o último Cavaleiro Jedi treinou.

Conhecido especialmente pela sua maneira peculiar de falar, Mestre Yoda é uma das mais icônicas figuras de Star Wars. Devo admitir que o prefiro na antiga trilogia, comparado ao Yoda que aparece na “nova” trilogia, especialmente por tentarem fazer dele um Jedi “ativo”. Mas apesar de tudo, Yoda continua sendo o meu secundário favorito da série.

Lulu: Yoda é fantástico! Aprovo a escolha! XD

Dani: E quem desaprova?! Até uns anos atrás eu tinha até um ursinho de pelúcia do Yoda! (só meu irmão para dar esse tipo de presente)

Dé: E nem precisei do Jedi mind trick. XD

Ísis: Peraí, salvem-me aqui. A gente precisa da aprovação da rainha até nas nossas escolhas da Lista? oO

Lulu: Não, não precisam, mas eu aprovo mesmo assim...

Bem, meu personagem secundário favorito é, sem dúvida alguma, Mycroft Holmes, o irmão mais velho e mais inteligente de Sherlock Holmes.

Dé: E se isso não é de dar arrepios, releia a frase anterior de novo, com mais atenção...

Ísis: Tô toda arrepiada... Eu fico arrepiada só de OUVIR o nome do >>Mycroft<< (arrepio)... E agora super me lembrei das hienas do “Rei Leão” naquela cena do “do that again”...

Lulu: Eu fiquei com vontade agora de ficar repetindo o nome dele para te ver tenho um acesso de hiena XD Aí eu posso utilizar aquela voz sofrida do Scar: Eu estou cercado de idiotas.

Ísis: Aliás, estou surpresa de você não ter dito decidido pelo Dr. Watson... ou Watson é protagonista também? Fica a depender da classificação, né? Não é uma ciência exata, afinal...

Lulu: Na minha opinião, Watson é protagonista. E é também o narrador das histórias. Considerando que eu avalio as adaptações pela forma como apresentam o Watson, concordemos que ele é o personagem principal para mim...

Mas continuemos!

Eu já gostava do Mycroft nos contos, ainda que suas participações fossem mínimas – há um ar de serenidade em torno dele, de calma eficiência, que muito me agrada. Mas foi o Mycroft da série da BBC que me cativou completamente: ele é o típico irmão mais velho super protetor, e também um político a la Maquiavel (eu o imagino tomando chá com o Patrício da série Discworld), um adversário de respeito em qualquer campo que ele escolha.

Ísis: Sabe quando vamos dividir um grupo grande em dois pra brincar de pega-pega ou qualquer coisa assim? Então, escolha número 1: MYCROFT!!! É o tipo de pessoa que você quer ao seu lado – nem que seja pra evitar que ele esteja no lado oposto... ^^’’

Lulu: Mas há uma certa vulnerabilidade, especialmente em sua relação com Sherlock, que me parte o coração. A interpretação do Gatiss é absolutamente soberba e ele é meu personagem favorito da série.

Ísis: DUAS!!! o////

Dani: Não me matem, mas eu nunca gostei muito dele não... Embora admita que o da série é bem mais cativante mesmo.

Ísis: Como alguém pode não gostar do Mycroft – pelo menos o da BBC?! *chocada*

Dani: É como dizem: “Gosto é igual bunda. Cada um limpa a sua” ^^

Ísis: Oi?! oO Dé, o que vocês ensinaram pressa menina?

Dé: A versão do ditado que eu conheço é outra, mas tudo bem... xD

Lulu: Sem maiores comentários...

Dé: Uma coisa que eu gosto do Mycroft é que ele é tão mais inteligente, que ele está envolvido o tempo todo em problemas que fariam os casos do irmão parecer brincadeiras de criança, ao mesmo tempo sem chamar nenhuma atenção para si mesmo (ao contrário do irmão).

Ísis: Super me pego imaginando isso TODAS AS VEZES que dou replay nas cenas do Mycroft... ^^’’

E, rapaz, pra ser honesta, embora não tenham tido tempo de desenvolvê-lo nos filmes com o Robert Downey Jr., eu também amei o Mycroft de lá – mesmo sendo totalmente diferente, né? Acho que projetei o da BBC nele, mas não muda o fato de que continuo gostando dele mesmo depois de me dar conta disso...

Lulu: Eu gosto do Mycroft do Stephen Fry. Na verdade, eu gosto de todo e qualquer personagem que o Stephen Fry faça.

Dé: Isso (ver acima) faz com que seja possível que ele tenha o dedo EM QUALQUER COISA e ninguém sequer imagina isso! Mais um ponto positivo pro Gatiss, que passou isso muito bem na série da BBC. Por sinal... quando sai a temporada nova, Lu?

Ísis: Última notícia que eu li é que será na primavera/verão/outono (na lembro qual a estação) de 2014... >.< Quase que morro ao descobrir que terei(teremos) de esperar mais um ano pra ver o Mycr – digo, Sherlock Holmes... T.T 

Lulu: Eles já gravaram os dois primeiros episódios da temporada e a previsão é que gravem o terceiro agora por julho/agosto. Pelo que vi dos comentários do povo, acho que deve estrear em janeiro; as duas outras temporadas também passaram em janeiro afinal e é o mês de aniversário do Sherlock, segundo estudiosos do cânone...

Eu só espero que a temporada chegue antes que eu fique careca de ansiedade...

Dani: Ah meu Deus, acabei de presenciar um momento fan girl coletivo aqui... ^^

Lulu: Bah, Dani, é Sherlock! E a segunda temporada acabou partindo os corações de todo mundo. Aliás, quando assistimos a segunda temporada, foi na casa do Dé, junto com a Ísis, sabia dessa?

Ísis: Bem, o meu escolhido é o Li Syaoran, de Card Captor Sakura(Dani: AAAAAAAHHHH!!!!!!!!!!! ADORO O LI!!!!!!!!!!!!!! *meu momento fan girl*), É CLARO (também AMO o de Tsubasa Reservoir Chronicles, mas não vem ao caso agora)!!!! Levanta a mão quem pensou que eu iria deixar essa passar... NEM A PAU!!! Principalmente com o aniversário dele tão próximo! Um parênteses: para se ter noção do quanto eu gosto de CCS, sei os aniversários de vários dos personagens... mas também ajuda que muitos são em dias fáceis, tipo 25 de dezembro, 29 de fevereiro, 1º de abril etc... – mas o do Syaoran não é um desses. Entrou na minha cabeça mesmo... XP

Lulu: Alguém abana aí a Ísis antes que ela tenha uma síncope, por favor...

Ísis: Voltando ao assunto: Syaoran começa como um garoto obcecado em capturar as cartas, mas rapidinho a gente nota que ele foi criado pra assumir grandes responsabilidades como o herdeiro da família Li, uma família de magos desde sabe-se lá quando. Em outras palavras, o garoto não é obcecado, mas, sim, focado em seu dever. Tanto é que no meio da série ele explica que seu objetivo não era ser o “dono” das cartas, mas evitar a tragédia que poderia acontecer se as mesmas não fossem seladas a tempo.

Além do traço lindo da CLAMP e da Mad House (que fazem dele uma FOFURA em qualquer versão), eu adoro ver como ele vai gradativamente mudando no decorrer da série, mas sem perder a característica principal: um garoto que sabe o que é responsabilidade (apesar da POUCA idade) e as assume, mesmo que em sua própria desvantagem.

E o mistério do que ele foi fazer quando voltou pra Hong Kong ainda está para ser revelado. Junto com o final de X, é uma das coisas que CLAMP usa pra segurar os leitores. E o pior, funciona!! Até hoje quero saber essas duas coisas...

Dani: Só você? Já tive minha cota de impulsos assassinos contra a CLAMP esse ano... Aliás, uma pequena curiosidade: foi imitando o traço da CLAMP que eu comecei a desenhar mangá. Principalmente com os cabelos, que foi de onde eu me inspirei para criar o meu estilo de cabelos.

Ísis: Dani, você não é a única, vai por mim. Dé e eu conhecemos pelo menos mais uma.... ^^’

Mas eu sempre achei fantástico elas terem tanto talento que, inclusive, influenciam o nascimento de outros. Isso, sim, é maestria...

Lulu: Sem maiores comentários de novo, ‘bora tocar pra frente. Ísis, apresente nossa primeira escolha coletiva (e gente, foram mais de vinte emails pra um lado e para o outro até chegarmos a um denominador comum...)!

Ísis: Poxa, to tão feliz! Porque agora vou apresentar um dos personagens conjuntamente eleito! Eu sempre gostei desse garoto (dica 1), desde a sua primeira aparição nos quadrinhos (dicas 2). Lembro perfeitamente bem da primeira história dele, e ficava altamente frustrada pelo exceto de tempo que se passava entre cada aparição.

Ele é tudo o que não somos, e, ao mesmo tempo, ele é o que queremos ser: individuais, rebeldes, únicos. Ele enxerga as coisas que muitas vezes as barreiras sociais nos cega pra – tipo o Darcy (Dani: Hã? Dé: Hã?² Lulu: Eu fui a única que entendi a referência?), de certa forma – e não tem medo de expressar sua opinião, por mais OPOSTA que ela seja...

Sim, há horas em que ele simplesmente faz o oposto pra não ser igual (Dé: Não seria “pra ser diferente”?) a todos, e isso já o meteu em algumas confusões, mas, ainda assim, eu gosto do que ele representa: ser diferente.

Senhoras e senhores, se vocês não adivinharam ainda, estamos falando do Do Contra, da Turma da Mônica! (Porque desde que eu entrei nessa parada, estou numa campanha pra diminuir o número de livros dessas listas... Mas é bom ninguém contar pra Rainha, senão ela me mata!)

Lulu: Ah... isso explica muita coisa... A Ísis quer ser Do Contra...

Dé: E tu ter a assinatura das revistas até hoje (ou, pelo menos, enquanto ainda morava no Brasil) não tem NADA a ver com isso, né?

Ísis: Nops... E ele sendo roqueiro/baterista (Turma da Mônica Jovem) tá tudo de bom! <3 

Dani: Não consigo ler o Mônica Jovem, simplesmente não consigo! E olha que sou fã incondicional do Maurício de Sousa... T.T Mas não consigo deixar de preferir a versão de quando eram crianças. Acho que me apeguei demais...

Dé: Eu culpo o Cassaro. Ele deveria voltar aos romances, porque Espada da Galáxia é FODA. Lua dos Dragões também.

Lulu: Eu to boiando aqui, que também não leio o Mônica Jovem.

Dani: Mas enfim, para fecharmos esse Vertigem, vou fazê-lo com chave de ouro e trazer dois dos personagens secundários mais cativantes de todos os filmes da Disney! (dois porque um não pode ser mencionado sem o outro. Eles são quase uma coisa só). E quem ainda canta Hakuna Matata quando está sozinho em casa (no meu caso no chuveiro) é porque também foi marcado por esses dois!

Lulu: Os seeeeus problemassssssss você deve esqueceeeeeeeeeeeeeeeeeer. Isso é viveeeeeeeeeeeeeeer, é aprendeeeeeeeeeeeer. Hakuna Matata... Hakuuuuuuuna Matata...

Dani: Sim, pessoas, estou falando dos dois sem noção e boa vida da Selva, Timão e Pumba!

Lulu: YESSSSSSSSSSSSSSSSSSS! It’s alive! (acho que troquei o filme...)

Dani: Cara, impossível não amar esses dois! (Ísis: A bunda, parte 2 – A Revanche...) O jeito cínico do Timão, a ingenuidade de Pumba... Eles são como... Bingley e Darcy (Dé: Hã?³ Ísis: Não seria Hã3? E adicione aqui o meu “Hã4?!”... Lulu: De novo, só eu entendi a referência?)! XD Completamente diferentes, mas que de alguma forma se entendem e sempre apoiam um ao outro (Ísis: OK, agora fez mais sentido... Mas todo mundo e suas mães agora são como Bingley e Darcy?! Dani: Não, não. Foi só uma comparação qualquer... Afinal, diferente deles, nós sabemos muito bem porque Timão e Pumba são amigos: ambos são pirados!). Além de levarem a vida do melhor jeito possível e como todos gostaríamos (em especial nesse momento): sem qualquer preocupação...

Seria mesmo o paraíso... *sonhando, enquanto os trabalhos inacabados em cima da mesa gritam comigo*

Ísis: Do ponto de vista da sociedade “morrerei trabalhando” japonesa, não posso me permitir aceitar esse luxo, então vamos com “preocupando-se apenas com o que é importante, porque o resto tem jeito”? XP

Dani: Que horror... Não quero mais ir ao Japão, não...

Lulu: Eu tô contando os dias para sair de férias cantando Hakuna Matata. Um pouco de relaxamento ia bem na minha vida agora...

Mas chega de stress e até mês que vem, pessoal. Dé, tá contigo! Começa logo a escrever!


____________________________________

 

2 comentários:

  1. Sério que o melhor desse vertigem foram essas frase:

    "... – nem que seja pra evitar que ele esteja no lado oposto... ^^’’

    "É como dizem: “Gosto é igual bunda. Cada um limpa a sua”

    Esperando também a terceira temporada pra enfim assistir o último episódio inteiro da segunda...




    ResponderExcluir
  2. Gatiss é tipo um gárgula com bochechinhas rosadas de anjo como Mycroft. Não dá pra não gostar dele lá.

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog