22 de janeiro de 2013

Para ler: Protocolo Bluehand - Zumbis

Regras Básicas

Regra nº 1 > O apocalipse zumbi não é um passeio no parque. Quanto pior está, pior fica.

Regra nº 2 > Tenha cuidado com os mortos e, não se engane, mais ainda com os vivos!

Regra nº 3 > Se tiver que lutar, escolha sua arma, mire na cabeça e não erre!

Regra nº 4 > Localize e proteja o Bluehand.
O mundo não acabou no dia 21 de dezembro... mas isso não significa que estamos salvos. Pelo contrário: o pior ainda está por vir, espalhando-se como uma doença silenciosa, apenas esperando pelo momento certo para se manifestar, eclodindo em meio ao pânico e horror do começo do fim dos dias.

Ou, pelo menos, essa é a premissa (embasada de farta documentação, testemunhos e provas científicas) de Protocolo Bluehand: Zumbis.

Terminei 2011 assegurando a minha futura sobrevivência a um possível ataque alienígena. O que disse então vale também para este segundo volume: o projeto gráfico é de babar (especialmente se você for um zumbi... mas aí é tarde demais para você, não é mesmo?); o livro é riquíssimo em informações somadas a infográficos, ilustrações e outros detalhes primorosos (a depender do seu senso estético sanguíneo) e o pano de fundo histórico, a explicação de como chegamos à beira do colapso da civilização é, francamente, genial.

(Aliás, numa família em que sou a ovelha negra, com 80% de parentes na área de saúde, fui questionar alguns deles sobre a possibilidade do rolo mutagênico e todos concordaram com a possibilidade. O Dé, que é biólogo, depois de ler talvez possa me dar informações adicionais).

Por alto, o que você precisa saber é que o protozoário causador da Toxoplasmose, o toxoplasma gondii (que pode se alojar no cérebro, e causa alterações neurológicas, problemas cardíacos, cegueira...) encontrou-se, para nosso azar, com o vírus da raiva, gerando assim o T. zombi.
Juntos, o T.gondii e o vírus da raiva ganharam um poder que jamais tiveram separados. Quando o T.zombi se alastra pelo cérebro, ele causa alterações de comportamento, aumento na agressividade e, finalmente, necrose de várias partes do corpo, parada cardiorrespiratória e demência assassina, que ignoram por completo as leis da medicina! O mais assustador é que o T.zombi continua a se multiplicar mesmo após a aparente morte de seu hospedeiro, fazendo com que ele literalmente se levante da tumba.
Isso, é claro, explica muita coisa...

Se você acredita que a humanidade está prestes a dobrar os joelhos e ser varrida do mapa pela ameaça zumbi, Protocolo Bluehand: Zumbis é mais que necessário para você. Se não acredita... bem, na dúvida, é sempre melhor prevenir que remediar, não é?


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog