1 de novembro de 2012

Projeto Pratchett: Unseen Academicals

"I see evil when I look in my shaving mirror. It is, philosophically, present everywhere in the universe in order, apparently, to highlight the existence of good. I think there is more to this theory, but I tend to burst out laughing at this point."
Multidões vêm tomando conta da cidade. A febre da competição e o primitivo apelo por sangue as domina. É o futebol que está retornando para as ruas de Ankh-Morpork.

Só que futebol – ao menos da forma como é jogado em Ankh-Morpork – é um jogo sujo. Sem regras. E possivelmente fatal. A bola é algo apenas supérfluo: o que realmente importa aqui é provocar o maior dano possível ao time rival. E, talvez, ao seu próprio time.

Não é tão particularmente estranho que um jogo, muitos anos atrás, tenha terminado com uma cabeça decepada fazendo as vezes de ‘objeto esférico que deve ser mandado para o gol’.

Vetinari não é um grande fã do jogo, mas sabe que simplesmente proibi-lo não lhe trará resultados particularmente positivos. Necessário, pois, incorporar o jogo das massas às engrenagens da cidade – e assim é que ele designa os magos da Universidade Invisível para criar regras para o jogo.

Enquanto isso, os magos têm um interesse próprio e particular no assunto – o futuro de sua mesa de queijos e quase todas as outras (lautas) refeições da Universidade depende deles serem capazes de formar um time e participar da liga.

Resta, claro, para o coitado do Ponder Stibbons dar jeito no assunto, com uma ajudinha dos criados da prestigiosa instituição: Trev Likely (prodígio com uma latinha nos pés) e Mr. Nutt (possivelmente um goblin, talvez algo mais questionável e perigoso), responsáveis pelas velas perfeitamente derretidas e pingadas e pela iluminação em geral do prédio, bem ainda como Juliet Stollop (a mais bela de todas as beldades do mundo) e Glenda Sugarbean (Mestra das Tortas e Intrometida Extraordinária) da cozinha noturna.

Juliet e Trev pertencem a times rivais, mas se apaixonam contra tudo e todos. Nutt escreve cartas para Juliet em nome de Trev, Glenda distribui tortas e tenta resolver a vida de todo mundo (mesmo contra suas vontades), e todos tentam se preparar para o primeiro (e talvez último) jogo de futebol de suas vidas.

Entre ecos de Romeu e Julieta e Cyrano de Bergerac, psicopatas e super modelos de barba anã, Unseen Academicals começou meio morno pra mim... talvez porque eu não seja uma particular grande fã de futebol e nem simpatize com Romeu... mas o mistério em torno do que, exatamente, é Nutt; a forma como Glenda cresce e domina toda a situação e a crescente tensão por trás do jogo tão esperado acabaram me prendendo o suficiente para que eu completasse três quartos do livro em menos tempo do que levei para ler o primeiro quarto...

Eu definitivamente gostaria de ver mais dos personagens do livro, especialmente Nutt e Glenda... talvez até alguma coisa sobre as guerras sombrias que se relacionam com o passado de Mr. Nutt – não me lembro de ter visto outras menções prévias desse período histórico do Disco. Fiquei curiosa...


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog