6 de novembro de 2012

Desafio Literário 2012: Novembro - Escritor Africano || O Ladrão e os Cães

O meu passado ainda não permitiu que eu considerasse o futuro.
Li esse volume no aeroporto, enquanto esperava para embarcar – e talvez parte do desalento que senti ao virar a última página tivesse também a ver com o cansaço de uma longa espera e a ansiedade de chegar em casa – sentimentos que, de certa forma, o amargo protagonista de O Ladrão e os Cães compartilhou comigo.

Naguib Mahfouz é conhecido por suas obras intrinsecamente ligadas à História do Egito, passado e presente juntos de forma quase esquizofrênica, dividido entre a grandeza dos faraós e uma modernidade presa entre o fundamentalismo, a miséria e a corrupção. Nobel de literatura, é considerado por muitos críticos como o Balzac de seu país.

A comédia humana de seu protagonista aqui, porém, é tudo, menos cômica. Said Mahran, que outrora se imaginara um Robin Hood, foi traído pela esposa e pelo melhor amigo e entregue à polícia, passou quatro anos preso – tempo em que se consumiu com o desejo da vingança.

Ao finalmente se ver livre, a primeira coisa que faz é procurá-los e tudo o que ainda podia impedi-lo de embarcar sem volta no caminho de sua própria destruição – sua filha – é o que o joga de vez no desespero, pois a menina não é capaz de reconhecê-lo, ficando aterrorizada ao ser trazida a sua presença.

Daí por diante, Said está perdido. Incapaz de se encontrar em meio às ruínas de suas ideologias pós-revolução egípcia, preso em seu absoluto rancor e surdo a qualquer apelo, ele se volta contra aqueles que considera culpados, mas só acerta inocentes até se tornar, ele mesmo, uma vítima de seus atos.

A prosa é soberba, mas deixou-me bem deprimida: retrato fiel da realidade, é um livro que termina com o sepultamento de todas as ilusões, toda a inocência e esperança. Mais triste ainda talvez seja ver agora a história se repetindo, no mesmo lugar, pelo mesmo caminho...

Nota: 5
(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: O Ladrão e os Cães
Autor: Naguib Mahfuz
Tradutor: Ana Ban
Editora: L&PM
Ano: 2006
Número de páginas: 144


A Coruja


____________________________________

 

5 comentários:

  1. Esse livro é soberbo!!!! Tudo o que Naguib Mahfouz escreve é maravilhoso, mas os seus livros ligados a história moderna do Egito são acima da média! Mas realmente esse título em específico é extremamente depressivo... e quando se pensa no Egito atual é mais triste ainda... ver a história se repetindo e uma revolução roubada é algo que faz minha alma chorar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Laura, esse também foi meu pensamento enquanto lia - a repetição da história, dos erros, do resultado. Eu gostei muito da prosa do Naguib e quero procurar outros livros dele que não sejam tão desesperançados para ver como me sinto.

      Excluir
    2. Oi Lu!!!
      Olha, a maioria dos livros dele são desesperançados, especialmente os da sua fase realista. Caso queira algo mais leve do autor, procure seus livros sobre o Egito Antigo, como Radoupis e Akhenaton. Caso queira encarar outro realista, mas bem mais leve, tente o Noites das Mil e Uma Noites, que é muito lindo e mistura realidade e fantasia, bem no estilo oriental!
      Beijos

      Excluir
  2. Respostas
    1. O estilo do autor é bem elegante, conciso, muito bem escrito. Não é uma história feliz, e como bem disse a Laura, a repetição da história nos dias de hoje só nos deixa ainda mais deprimidos... mas é um bom livro para se entender a história egípcia e como as coisas chegaram ao ponto em que chegaram. Eu recomendo.

      Excluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog