28 de janeiro de 2012

A Vertigem das Listas: Um Começo Memorável


Lu: Bem, como já tinha dito antes ainda em dezembro, temos uma nova coluna aqui no Coruja, escrita a quatro mãos, chamada A Vertigem das Listas (porque todo mundo sabe o quanto amo listas). Como o Dé está muito folgado, só escrevendo o Coruja Gourmet, decidi alistá-lo para trabalhar aqui também.

Dé: Em minha defesa, postei o meme da meta literária de 2012.

Lu: E você chama isso de trabalho?

Dé: Eu só faço o que você manda, ué. Lá vou postar coisa sem consultar? Gosto da minha cabeça aonde está.

Lu: Peraí... quer dizer que você só posta se eu mandar? Qual a graça disso? Me surpreenda! Minha única restrição é não publicar nada que me venha arranjar confusão com talifãs. Não tenho paciência para esse tipo de argumentação.

Dé: Tá, vou começar a trabalhar em umas resenhas aqui... xD *risada maligna*

Lu: Muito bem... Agora, voltando ao que interessa... Nosso tema em janeiro não podia ser menos óbvio: escolhemos, cada um, um começo memorável de livros que nos marcaram. Começando por moi!

"Num lugar da Mancha, de cujo nome não quero lembrar-me, não há muito tempo que vivia um fidalgo dos de lança em cabide, adarga antiga, rocim fraco e galgo corredor."

Lu: Essa é a primeira frase de Dom Quixote de La Mancha, do Miguel de Cervantes. Li esse livro com uns doze para treze anos - foi um presente de aniversário. Eu sou fã do cavaleiro da triste figura, mas o que mais me marcou nessa frase - tanto que eu me lembro dela de cor e salteado mesmo anos depois de ter lido - foi por conta dessa lança em cabide, que significa, literalmente lança atrás da porta.

"Num buraco no chão vivia um hobbit."

Dé: Acho que não preciso dizer de que livro é, não? Esse livro me marcou por dois principais motivos: eu já jogava RPG a alguns anos, especialmente D&D, e este foi o PRIMEIRO livro em inglês que li. Lá estava eu, com 14 anos, esperando o lançamento do filme e querendo ler a trilogia, quando meu tio me aparece com uma edição antiga (de 54, se não me engano) de colecionador. Digamos que apanhei um pouco do idioma...

Lu: essa frase é realmente inesquecível...

Dé: Sim, é. Creio que não cosigo lembrar de mais nenhum começo de livro além deste... embora este não tenha sido o livro que mais me marcou, certamente foi o começo mais memorável pra mim.

Lu: E nem é para lembrar, porque é só um começo e já tivemos dois hoje.

Dé: Sim, sim. Quero ver como vou me virar nos próximos meses...

Lu: Bem... então acho que por hoje é só, pessoal. Fevereiro temos mais lista!


____________________________________

 

3 comentários:

  1. eu ri tanto mas tanto desse diálogo que minha barriga está doendo... KKKK
    Adorei as escolhas... quando vi o título do post achei que era resenha do livro do Eco... adorei o nome da sessão nova :)
    estrelinhas coloridas...

    ResponderExcluir
  2. E eu imaginando aqui uma conversa entre esse dois, da Lu é mais fácil, já conheço, e conversamos bastante, do Dé só fico na imaginação...

    ResponderExcluir
  3. Muito boa a nova coluna... divertida e dinâmica... vou começar a acompanhar! :)

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog